Agentes terceirizados do presídio da Mata Escura fazem protesto por reajuste salarial

 

Monitores de ressocialização decidiram realizar uma manifestação na manhã desta terça-feira (15) em Salvador.

O grupo fechou o acesso ao Complexo Penitenciário de Salvador no bairro da Mata Escura e suspendeu as visitas.
Os monitores se queixam da Socializa, empresa terceirizada para gestão de unidades prisionais no estado, por causa do não pagamento de uma convenção salarial assinada em agosto do ano passado.

De acordo com o diretor financeiro do Sindicato de Ressocialização Prisional e Socioeducador (Sindap-BA), Antônio Reis, os monitores tiveram cortes de até R$ 600 no salário de R$ 1480 de dezembro.

COMPARTILHAR