Ipirá: Marcelo volta e traz o caos administrativo

 

Depois de 1 ano e 8 meses de “indigestão” na administração de quase R$ 11 milhões por mês e de ser afastado do cargo para passar por investigação de atos supostamente ilícitos, Marcelo Brandão, o ‘Moisés da Terra Arrasada’ tenta demonstrar cabeça erguida, o que para muitos é falta de discernimento: ‘Como alguém que é tirado do cargo por 10 dias por supostas práticas ilegais, e ainda comemora?

Não podemos esquecer que no dia 20 de abril deste ano, os 163 anos de Ipirá, cidade que fina na Bacia do Jacuípe a 210 km de Salvador, foram comemorados apenas com um estourar de fogos de artifício e nada mais (como pensa Marcelo Brandão, do DEM).

Foi assim – com pipocar de fogos – a volta de Marcelo Brandão, que é advogado e vai ainda ter que se explicar na Justiça – depois da ação de 20 de agosto último da Polícia Federal que ocupou a Prefeitura depois de pegá-lo em casa, às 6h da manhã, o prefeito que decepciona jacus, macacos e grande parte da população que espera, mas não acredita, que o radialista falastrão prove que tem dinheiro para tudo, como dizia na rádio da família. É bom lembrar que em 2016, Ipirá teve receita de R$ 106 milhões, e já em 2017, sob o ‘comando’ de Marcelo arrecadou R$ 128 milhões, ou seja, R$ 1 milhão 833 mil a mais por mês.

E agora, falta dinheiro ou capacidade?

Vamos recordar alguns fatos:

01 – Saúde – hospital e postos de saúde abandonados por meses sem sequer ter o básico; O CEO – Centro de Especialidades Odontológicas, na Praça do Mercado, praticamente não atende ninguém. É peça figurativa.

02 – Educação: escolas sem condições, sem material pedagógico e merenda escolar ou faltando ou insuficiente; tentativa de fechamento da Biblioteca Municipal Eugênio Gomes;

03 – Infraestrutura – Avenidas, ruas e estradas vicinais esburacadas e apenas paliativos; A Praça do Puxa com obras paradas.

04 – Esporte e Lazer – Depois de dar um chá de espera na Liga Desportiva Ipiraense, agora autoriza cortar a energia elétrica e não vai ajudar na realização dos campeonatos Máster nem Sub20; a Seleção também esta fora do Intermunicipal;

05 – Arte e Cultura – O Mercado de Artes continua abandonado;

06 – Centro de Abastecimento – Será que o prefeito ainda chama de Centro de Aborrecimento?

07 – Limpeza – Empresa de coleta de lixo com o dobro no valor do contrato anterior e menos funcionários, equipamentos e trabalho insuficientes;

Apesar do foguetório – maior que o do aniversário de Ipirá -, a expectativa de melhoria na gestão é quase nenhuma e a esperança é o que resta, além da certeza que faltam pouco mais de dois anos de descaso, desrespeito e sofisma.

Yancey Cerqueira

COMPARTILHAR