TRF-4 nega mandado de segurança de Gleisi para ser advogada de Lula

 

O mandado de segurança impetrado pela senadora e presidente nacional do PT Gleisi Hoffmann para atuar como advogada do ex-presidente Lula em processo que tramita na Justiça Eleitoral foi indeferido liminarmente na tarde de hoje (6) pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4.ª Região).

A decisão só é válida até o julgamento do mérito pela 8ª Turma, que permanece sem data marcada.

Após ter procuração como advogada indeferida pela 12ª Vara Federal de Execuções de Curitiba, Gleisi recorreu ontem (5) ao TRF-4.

A presidente do PT foi impedida de atuar como advogada de Lula sob o entendimento de que membros do Poder Legislativo são impedidos de exercer a advocacia em favor de executado condenado por crimes contra a administração pública.

COMPARTILHAR