Brasil vence a Itália e avança para a oitava de final

 

Marta fez o 17º gol em Copas e se torna a maior artilheira tanto no mascuçino como no feminino. O alemão Close tem 16.

Triplo empate no Grupo C. Itália, Austrália e Brasil, com 6 pontos. A ordem de classificação para as oitavas de final foi decidida no critério de desempate saldo de gols. A Itália ficou em primeiro do grupo com saldo de oito gols. A Austrália, em segundo, com saldo de 7. E o Brasil também avançou para a próxima fase com o saldo de 6 gols.

Brasil x Itália

Em Valenciennes, um clássico do futebol mundial: Brasil x Itália. Um confronto que valia a classificação e a definição das posições no Grupo C. As brasileiras tinham o desfalque de Andressa Alves, que estava fora do Mundial Feminino por contusão.

Precisando apenas de um empate, a Seleção Brasileira começou o jogo insegura. O nervosismo era visto, principalmente, nos erros na saída de bola, que propiciavam à Itália a chance de finalizar para o gol de Bárbara.

Mas, aos 17 minutos, Debinha conseguiu concluir de letra um escanteio e deu trabalho à goleira Giuliani, que fez ótima defesa. No escanteio, quase que Marta conseguiu fazer um “gol olímpico”. A pressão do Brasil vinha nas bolas paradas. E o gol parecia cada vez mais maduro.

Quem marcou primeiro foi a Itália. Aos 28 minutos, a atacante Girelli recebeu sozinha na área, ajeitou, driblou Letícia e chutou colocado. Mas nem teve tempo de comemorar. Estava completamente impedida, para alívio do Brasil. Aos 39 minutos, em outro lance perigoso, a bola foi alçada na área e quem evitou um gol certo foi a goleira Bárbara, num chute à queima roupa.

Ao término dos primeiros 45 minutos, o empate sem gols acabou sendo bom para as brasileiras, que voltaram a mostrar ausência de padrão de jogo, uma única jogada de ataque – com a ultrapassagem da lateral-direita nas costas da zaga italiana – e as mesmas falhas na defesa que apresentou contra a Austrália.

No 2º tempo, a primeira grande chance foi do Brasil. Aos 4 minutos, numa cobrança de falta, Andressinha acertou o travessão da Itália, arrepiando o torcedor no estádio.

A Seleção passou a dominar as ações, mas a bola rondava a meta italiana e não entrava. Aos 24, Marta levantou para a área e Debinha bateu de primeira, a goleira Giuliani caiu e fez a defesa.

Aos 29 minutos, Debinha levou um tranco de Linari dentro da área. A rigorosa árbitra mexicana não titubeou e marcou o pênalti, sem precisar da ajuda do VAR. Com muita tranquilidade, Marta deslocou a goleira e fez o gol brasileiro. Apesar da vitória por 1 a 0, o time mantinha-se na terceira colocação do Grupo C, ficando atrás de italianas e australianas nos critérios de desempate.

Depois do gol, o técnico Vadão instaurou a retranca e tirou a craque Marta para colocar a reserva Luana. O Brasil tinha sobrevivido ao difícil Grupo C. Era isso que importava.

Ficha técnica:

Terça-feira, 18 de junho de 2019

BRASIL 1 x 0 ITÁLIA

Competição: Mundial Feminino (1ª fase – Grupo C)

Local: Valenciennes, França

Juíza: Lucila Venegas (México)

Brasil: Bárbara, Letícia Santos (Poliana), Kathellen, Mônica e Tamires; Ludmila, Andressinha, Thaísa, Marta (Luana) e Debinha; Cristiane (Beatriz). T: Vadão.

Itália: Giuliani, Guagni, Gama, Linari e Bartoli (Boattin); Galli, Giugliano e Cernoia; Giacinti (Bergamaschi), Girelli (Mauro) e Bonansea. T: Milena Bertolini.

Gol: No 2º tempo: Marta (pên.) (29).

COMPARTILHAR