Brasileiro: Bahia perde e praticamente dá adeus a Libertadores

A torcida fez a parte dela – mais de 35 mil pessoas foram à Fonte Nova com renda de R$ 1.076.353,00 na noite deste domingo -, mas o Bahia não. Com a derrota para a Chapecoense, por 1 a 0, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, o time comandado por Paulo César Carpegiani deu adeus a briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2018. Por isso, deixou o campo debaixo de vaias.

O Bahia conheceu a segunda derrota seguida e estacionou nos 49 pontos, caindo para a 11ª colocação. Já a Chapecoense chegou ao nono jogo de invencibilidade, subiu para o nono lugar, com 51 pontos, e ainda sonha com uma vaga na principal competição sul-americana.

Enquanto o Bahia apenas cumpre tabela contra o São Paulo, no Morumbi, pela última rodada, a Chapecoense recebe o Coritiba, na Arena Condá, sonhando com uma vaga na principal competição sul-americana. Os dois jogos serão no domingo, às 17h.

O jogo
Com os dois times precisando da vitória para manter vivo o sonho de conquistar uma vaga à Copa Libertadores de 2018, o primeiro tempo na Arena Fonte Nova foi bastante movimentado. Logo aos três minutos, Wellington Paulista exigiu grande defesa de Jean em chute de biquinho. O Bahia respondeu com Zé Rafael, que recebeu passe de Vinícius e soltou a bomba pela linha de fundo.

O goleiro tricolor voltou a trabalhar em chute forte de Apodi, espalmando a bola pela linha de fundo. O Bahia esboçou uma pressão a partir da segunda metade do primeiro tempo, mas quem marcou foi a Chapecoense, aos 44 minutos. Jandrei chutou a bola para o campo de ataque, a zaga adversária vacilou e Canteros cruzou rasteiro. Wellington Paulista apenas completou.

Empurrado pela torcida, o Bahia voltou do intervalo com tudo em busca do empate. Mendoza aproveitou falha da defesa e cabeceou forte, mas parou em grande defesa de Jandrei. Aos sete, Renê Júnior cabeceou e a bola acertou o braço de Douglas Grolli. Pênalti que Edigar Júnior tirou muito e acertou a trave. Na sequência, o atacante bateu rasteiro e o goleiro da Chapecoense defendeu.

O Bahia seguia tentando o empate de todas as maneiras, mas viu a situação ficar mais complicada aos 39 minutos quando Zé Rafael recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. E quase que a Chapecoense mata o jogo nos acréscimos. Wellington Paulista chutou forte e Jean espalmou com as pontas dos dedos. Aos 47, Eduardo cruzou e Hernane subiu livre, mas a cabeçada saiu pela linha de fundo.

Compartilhe isso:
Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)Compartilhe no Google+(abre em nova janela)
Curtir isso:

COMPARTILHAR