Com críticas ao STF, manifestantes fazem ato de apoio à Lava Jato em Salvador

 

ora, Gilmar”, “Fora, Toffoli”, “Lava Jato, eu apoio”, “Não à corrupção”, “Polícia Federal, orgulho nacional” são algumas das mensagens estampadas em cartazes de manifestantes que foram ao Farol da Barra, em Salvador, em uma manifestação de apoio à Operação Lava Jato na manhã deste domingo (17).
O ato ocorre depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na última quinta-feira (14) que a Justiça Eleitoral tem competência para julgar crimes comuns, não eleitorais, como corrupção e lavagem de dinheiro. O resultado foi considerado uma derrota para a Lava Jato, cujos procuradores temiam o esvaziamento da operação, já que a maioria dos processos ligados à operação envolve a associação entre caixa dois e crimes como corrupção e lavagem de dinheiro

Em sua visita a Salvador nesta sexta-feira (15), o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Dias Toffoli, defendeu a decisão da Corte. “A Justiça Eleitoral é a mais eficiente. O Ministério Público e a polícia judiciária são as mesmas em relação às outras justiças. Não há que se falar que a Justiça Eleitoral não tem estrutura. Pelo contrário, a Justiça Eleitoral é a mais rápida, mais célere”, pontuou.

Um dos principais nomes da Operação Lava Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol criticou a decisão da Suprema Corte. “Começou a se fechar a janela de combate à corrupção política que se abriu há 5 anos, no início da Lava Jato”, disse Deltan.

COMPARTILHAR