Governo baiano libera transporte intermunicipal em 72% das cidades

Rodoviária oferece 150 horários extras no feriado do dia do trabalhador. Foto: Paula Fróes/GOVBA

 

Cidades inseridas em macrorregiões de saúde que apresentaram redução na taxa de contaminação e de ocupação de leitos para o tratamento da Covid-19 tiveram o transporte coletivo intermunicipal liberado na segunda-feira, 14/09. Anunciada pelo governador Rui Costa, em coletiva de imprensa virtual, a flexibilização está inserida no decreto estadual n° 19.586, que segue proibindo a realização de eventos com mais de 100 de pessoas e atividades em escolas das redes pública e privada em toda a Bahia.

O documento era válido até este domingo, 13/09, e foi prorrogado por mais 15 dias, mantendo-se em vigor até 27 de setembro, como lembra o governador.

A Bahia é o segundo estado em número de casos de covid-19 com 283.235 infectados, o 7º em número de mortes com 5.999 e registra 269.890 considerados recuperados da doença.

Das nove macrorregiões de Saúde, seis estão enquadradas no critério adotado pelo Estado para a liberação, totalizando 303 cidades (72,66%) com o transporte coletivo intermunicipal restabelecido. Apenas as macrorregiões Extremo Sul, Sul e parte da região Sudoeste seguem com restrições, somando 114 cidades com terminais rodoviários fechados. “De todas as regiões, estas são as que seguem com números mais altos. Se observarmos índices mais animadores, poderemos liberar o transporte nesses territórios também”, explicou.

Já o transporte metropolitano semiurbano – aquele com características operacionais típicas de transporte urbano, mas que transpõe os limites de perímetros urbanos, em áreas metropolitanas e aglomerações urbanas – está liberado em todos os 417 municípios baianos.

Além das aulas, o decreto n° 19.586 proíbe todas as atividades que envolvem aglomeração de pessoas, como eventos desportivos, religiosos, shows, feiras, apresentações circenses, eventos científicos, passeatas, aulas em academias de dança e ginástica, bem como abertura e funcionamento de zoológicos, museus, teatros, dentre outros.

Fonte: Secom / BA

COMPARTILHAR