Justiça deixa prescrever processo criminal contra Edir Macedo

 

O processo criminal contra o líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, 74, e o Bispo João Batista, 75, ambos acusados de lavagem de dinheiro e outros delitos, prescreveu.

A ação penal completou oito anos sem julgamento em setembro e se esgotou o prazo legal para aplicação de penas ao líder evangélico e ao bispo, vereador em São Bernardo do Campo (SP), diz o Ministério Público Federal. A acusação inicial contra Macedo se deu pelos crimes de lavagem de dinheiro (prescrito no mês passado), evasão de divisas, associação criminosa e falsidade ideológica. Todos esses delitos agora estão prescritos por lentidão da Justiça.

Em nota, a Igreja Universal do Reino de Deus afirmou que as acusações na ação penal “são completamente equivocadas, além de quase idênticas a outras que deram origem a processos e inquéritos já julgados e arquivados”.

Na 2ª Vara Criminal Federal em São Paulo, o processo já havia passado da etapa de alegações finais das partes em 2018 e, desde então, estava pronto para receber sentença.

COMPARTILHAR