Justiça do RN considera greve de policiais e bombeiros ilegal e determina retorno

Em regime de plantão, a desembargadora potiguar Judite Nunes acatou um pedido da Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Norte e considerou ilegal a greve que está sendo realizada pelas polícias Civil e Militar do estado e pelo Corpo de Bombeiros. Segundo informações do portal G1, ela determinou na decisão o retorno imediato ao trabalho – em caso de descumprimento, as associações e entidades poderão ser punidas, com multas que variam de R$ 2 mil a R$ 30 mil. Os sindicatos e as associações de PMs, policiais civis e bombeiros militares informaram que ainda não foram notificados oficialmente da decisão e que terão assembleias nesta terça-feira (26) para decidir o rumo do movimento, que começou na terça-feira (19). Inicialmente, PMs e bombeiros militares ficaram aquartelados devido à falta de pagamento dos salários de novembro. No dia seguinte, aderiram à paralisação agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil e passaram a trabalhar em regime de plantão, o que será mantido nessa segunda-feira (25), feriado oficial. Na região metropolitana da capital, Natal, apenas as delegacias de plantão estão funcionando. Agentes da Força Nacional fazem o patrulhamento na Grande Natal – 70 homens e mulheres chegaram na quinta-feira (21), enviados pelo governo federal.

COMPARTILHAR