Odebrecht pede selo Pró-Ética à CGU, mas recebe negativa

A empreiteira baiana Odebrecht recebeu uma negativa da Controladoria-Geral da União (CGU). De acordo com a coluna Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, a companhia procurou a CGU e pediu para obter o selo Pró-Ética, certificação dada às empresas que investem em medidas de prevenção e combate à corrupção e ouviu um ‘não’.

A CGU não deve incluir entre as premiadas com o selo as construtoras investigadas na Lava Jato, mesmo que esteja negociando acordo de leniência.

COMPARTILHAR