Otto e Coronel vão acionar STF contra Bolsonaro após mentira envolvendo Hospital Espanhol

 

Os senadores baianos Angelo Coronel e Otto Alencar, ambos do PSD, vão acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Os parlamentares foram vítimas de uma denúncia anônima baseada em uma mentira envolvendo o Hospital Espanhol e compartilhada pelo chefe do executivo federal com o ex-ministro Sergio Moro.

“O presidente da República, ao contrário de trabalhar pra conter o avanço do coronavírus e resolver os problemas da economia, ele fica no hábito de estimular e disseminar fake news, como acontecceu no meu caso e do senador Angelo Coronel. Nós estamos entrando no Supremo Tribunal Federal para abrir um inquérito pra investigar essa divulgação criminosa do presidente da República e dos seus asseclas”, disse Otto, em publicação no Instagram neste domingo (24).

Já Coronel também citou Moro em um eventual acionamento à Justiça. “O presidente tem que declinar o nome da amiga que lhe enviou a mensagem para que sofra os rigores da lei. Fica patente o intuito do Presidente da República de não só investigar, mas também perseguir e amedrontar adversários”, escreveu o senador, também por meio de publicação nas redes sociais.

Novas mensagens entre Bolsonaro e Moro, colhidas pela Polícia Federal e divulgadas neste sábado (23) pelo Estadão, mostram que o presidente da República compartilhou acusações contra o governador da Bahia, Rui Costa (PT), os dois senadores baianos, além do secretário de Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

A mensagem compartilhada pelo presidente acusa o governador da Bahia de ter “entregue gratuitamente e sem licitação” a adiministração do Hospital Espanhol ao Instituto Nacional de Tecnologia da Saúde (INTS), empresa, segundo a mensagem encaminhada por Bolsonaro a Sergio Moro, supostamente pertencente ao filho do senador Otto Alencar, o deputado federal Otto Alencar Filho (PSD-BA).

A mentira repassada por Bolsonaro com o então ministro da Justiça diz ainda que as refeições servidas no hospital de campanha seriam fornecidas por um preço seis vezes mais caro que o normal pelo senador Ângelo Coronel.

O INTS pertence a apenas uma pessoa, que não tem ligação com a família de Otto. A administração do Hospital Espanhol foi vencida após processo licitatório.

O senador Angelo Coronel é presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga no Congresso o fenômeno das fake news.

COMPARTILHAR