Paulo Vieira se revolta após sentença racista: ‘Muita gente morrendo em razão da nossa raça’

 

O humorista Paulo Vieira se pronunciou sobre o caso da magistrada que condenou um jovem negro utilizando, em sua sentença, um argumento racista (veja aqui). Em uma publicação feita na tarde desta quarta-feira (12), em seu perfil no Twitter, o ator global disse que “gostaria de mandar essa juíza tomar bem no olho do c* dela”.

“Em razão da minha raça, ando meio sem paciência. Tem muita gente morrendo ’em razão de nossa raça'”, disparou Paulo no microblog.

A juíza em questão é Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal de Curitiba. Ela condenou sete pessoas por organização criminosa e, ao se referir a um dos réus, Natan Vieira da Paz, um homem negro de 42 anos, afirmou que ele seria “seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça”.

“Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta os delitos e o seu comportamento, juntamente com os demais, causavam o desassossego e a desesperança da população, pelo que deve ser valorada negativamente”, escreveu. Natan foi condenado a 14 anos e dois meses de reclusão.

COMPARTILHAR