Policiais civis e penais vão paralisar as atividades por 48h a partir de segunda

Vitória/ES - Polícia Civil do Espírito Santo faz paralização até a meia noite de hoje(8) em protesto ao assassinato de um investigador em Colatina e às más condições de trabalho. (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

 

Policiais Civis e Policiais Penais baianos decidiram, em assembleia realizada na manhã desta terça-feira(21), no auditório do Sinpojud, decretar “estado de greve” das duas categorias e paralisar as atividades por 48 horas a partir da próxima segunda-feira(27) em protesto à PEC da Previdência dos servidores estaduais.

“Também ficou acordado de que a gente quer bsucar manutenção da integralidade em relação às pensões, porque vão sofrer grandes impactos. Aprovamos a paralisação a partir de segunda-feira, período que deve ter a votação da Previdência”, explicou ao BNews o diretor jurídico do sindicato, Roberto Cerqueira.

Ficou decidio o encaminhamento de ofício para o governo do estado exigindo que na PEC 159/20 seja garantido aos Policiais Penais e Civis Pensão Integral, paridade e integralidade; promoção imediata; mobilização na segunda e terça (27 e 28/01) para ocupar a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), inclusive, com viaturas; estabelecer diálogo com deputados em busca de assinaturas para emendas; informativo à população sobre a PEC.

A Assembleia Unificada foi promovida pelo Sinspeb, Sindpoc, Unipol, Assipoc, Aepeb-Sindicato e Sindpep.

COMPARTILHAR