Prefeito comprava em papelaria de irmão e têm R$ 253 mil bloqueados

 

O prefeito Armênio Sodré Nunes (MDB), de Barra do Mendes, no Centro Norte baiano a 629 km de Salvador, e o irmão, o empresário Arlênio Sodré Nunes, terão R$ 253.071,00 bloqueados das contas por decisão da Justiça, que atendeu a pedido liminar do Ministério Público estadual em ação civil pública ajuizada pelo promotor de Justiça Marco Aurélio Nascimento Amado por ato de improbidade administrativa.

A decisão da Juíza Marina Lemos Ferrari levou em conta irregularidades apontadas pelo MP em compras realizadas pelo Município no período compreendido entre os anos de 2013 e 2019 com a aquisição direta e sem licitação de produtos de papelaria.

Na ação, o promotor de Justiça apontou que houve indevida dispensa de licitação. O MP apurou que a papelaria com a qual a Prefeitura fez negócio pertence ao irmão do prefeito, o empresário Arlênio Sodré Nunes, o que evidenciaria que “as compras foram realizadas de forma fraudulenta para beneficiar o irmão do prefeito, comprovando dolo na conduta do chefe do executivo municipal”.

Barra do Mendes

A cidade, que fica na Região de Irecê, com uma população estimada de 14 mil pessoas, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), teve arrecadação de R$ R$ 37.855.925,11 em 2019, sendo R$ 1.915.920,39 de receita própria. As contas ainda não foram analisadas pelo TCM (Tribunal de Contas da Bahia).

Fonte: Ascom MP/BA

COMPARTILHAR