Presidente do PR, o TRE mantém preso Os desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), do Rio de Janeiro, mantiveram, por unanimidade, a prisão do presidente nacional do PR, o ex-ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues. Os magistrados julgaram um habeas corpus impetrado pela defesa de Rodrigues, acusado dos crimes de falsidade ideológica, organização criminosa, corrupção passiva, extorsão e lavagem de dinheiro relacionados a um suposto esquema de caixa 2 na campanha de Anthony Garotinho ao governo do Rio de Janeiro em 2014. De acordo com a relatora do processo, desembargadora eleitoral Cristiane Frota, está demonstrado que as medidas cautelares alternativas à prisão não se mostraram suficientes para resguardar a adequada e necessária instrução criminal. A magistrada destacou que Rodrigues ficou foragido por quatro dias após a determinação de sua prisão. O presidente do PR está preso na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Os desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), do Rio de Janeiro, mantiveram, por unanimidade, a prisão do presidente nacional do PR, o ex-ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues.

Os magistrados julgaram um habeas corpus impetrado pela defesa de Rodrigues, acusado dos crimes de falsidade ideológica, organização criminosa, corrupção passiva, extorsão e lavagem de dinheiro relacionados a um suposto esquema de caixa 2 na campanha de Anthony Garotinho ao governo do Rio de Janeiro em 2014.

De acordo com a relatora do processo, desembargadora eleitoral Cristiane Frota, está demonstrado que as medidas cautelares alternativas à prisão não se mostraram suficientes para resguardar a adequada e necessária instrução criminal.

A magistrada destacou que Rodrigues ficou foragido por quatro dias após a determinação de sua prisão. O presidente do PR está preso na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

COMPARTILHAR