Santa Dulce dos Pobres é a primeira santa brasileira

 

Com os olhares do mundo religioso e político atentos ao Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, que termina no dia 27 de outubro no Vaticano, o Papa Francisco canonizou hoje Irmã Dulce como Santa Dulce dos Pobres, a 37ª santa brasileira — nesta conta, são considerados todos os santos que viveram no Brasil, mesmo que tenham nascido em outros países. Mas a primeira nascida no Brasil, em Salvador, na Bahia.

A baiana Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, Irmã Dulce dos Pobres, morreu em 1992 aos 77 anos. Com a canonização e de outros quatro novos santos, neste domingo, 13/10, Francisco atinge a marca de 892 santos no pontificado, segundo informações do disponibilizadas pela Congregação das Causas dos Santos, órgão do Vaticano responsável pelos processos de reconhecimento.

“Destaco sua simplicidade, seu foco em Jesus Cristo, sua capacidade de vê-lo no necessitado e a capacidade que teve de esquecer-se de si mesma, para responder às necessidades que se apresentavam (e se multiplicavam) à sua frente”, declarou ao Estado o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil dom Murilo Krieger, sobre as virtudes da nova santa.

Segundo o religioso, a celebração deve contar com 30 bispos que foram especificamente para o evento, além dos 58 bispos que participam do sínodo. Além disso, outros cerca de 100 sacerdotes devem ter participado da missa de canonização.

Visitas do João Paulo II

Em 7 de julho de 1980, Irmã Dulce se encontrou pela primeira vez com o Papa João Paulo II, na visita ao país, e foi encorajada pelo Pontífice a dar continuidade a obra.

Oito anos depois, ela chegou a ser indicada pelo então Presidente da República, José Sarney, para o Prêmio Nobel da Paz.

Irmã Dulce ainda se reencontraria com o Papa João Paulo II em 20 de outubro de 1991, durante a segunda visita ao país. Na época, o religioso quebrou o rigor da agenda para visitar a baiana, que já se encontrava debilitada em razão de problemas respiratórios, falecendo cinco meses após o encontro.

Irmã Dulce

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres ou Bem-Aventurada Dulce dos Pobres e até mesmo Santa Dulce tendo recebido o epíteto de “o anjo bom da Bahia”, foi uma religiosa católica baiana, que fez muitas ações de caridade e assistência para quem mais precisava.

Nascimento: 26 de maio de 1914, Salvador, Bahia

Falecimento: 13 de março de 1992, Salvador, Bahia

Nacionalidade

Irmã Dulce é a 37ª santa brasileira, mas a 1ª nascida no País

Com os olhares do mundo religioso e político atentos ao Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, que termina no dia 27 de outubro no Vaticano, o Papa Francisco canonizou hoje Irmã Dulce como Santa Dulce dos Pobres, a 37ª santa brasileira — nesta conta, são considerados todos os santos que viveram no Brasil, mesmo que tenham nascido em outros países.

A baiana Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, Irmã Dulce dos Pobres, morreu em 1992 aos 77 anos. Com a canonização e de outros quatro novos santos, neste domingo, 13/10, Francisco atinge a marca de 892 santos no pontificado, segundo informações do disponibilizadas pela Congregação das Causas dos Santos, órgão do Vaticano responsável pelos processos de reconhecimento.

“Destaco sua simplicidade, seu foco em Jesus Cristo, sua capacidade de vê-lo no necessitado e a capacidade que teve de esquecer-se de si mesma, para responder às necessidades que se apresentavam (e se multiplicavam) à sua frente”, declarou ao Estado o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil dom Murilo Krieger, sobre as virtudes da nova santa.

Segundo o religioso, a celebração deve contar com 30 bispos que foram especificamente para o evento, além dos 58 bispos que participam do sínodo. Além disso, outros cerca de 100 sacerdotes devem ter participado da missa de canonização.

Visitas do João Paulo II

Em 7 de julho de 1980, Irmã Dulce se encontrou pela primeira vez com o Papa João Paulo II, na visita ao país, e foi encorajada pelo Pontífice a dar continuidade a obra.

Oito anos depois, ela chegou a ser indicada pelo então Presidente da República, José Sarney, para o Prêmio Nobel da Paz.

Irmã Dulce ainda se reencontraria com o Papa João Paulo II em 20 de outubro de 1991, durante a segunda visita ao país. Na época, o religioso quebrou o rigor da agenda para visitar a baiana, que já se encontrava debilitada em razão de problemas respiratórios, falecendo cinco meses após o encontro.

Irmã Dulce

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres ou Bem-Aventurada Dulce dos Pobres e até mesmo Santa Dulce tendo recebido o epíteto de “o anjo bom da Bahia”, foi uma religiosa católica baiana, que fez muitas ações de caridade e assistência para quem mais precisava.

Nascimento: 26 de maio de 1914, Salvador, Bahia

Falecimento: 13 de março de 1992, Salvador, Bahia

Nacionalidade: Brasileira

Naturalidade: soteropolitana (Salvador)

Nome completo: Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes

: Brasileira

Naturalidade: soteropolitana (Salvador)

Nome completo: Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes

COMPARTILHAR